Usina Solar do Estádio de  Pituaçu

O Estádio Governador Roberto Santos, mais conhecido como Estádio de Pituaçu, em Salvador foi o primeiro estádio de futebol da América Latina a utilizar o sistema de geração solar. Inaugurada em 2012, a usina garante a cobertura total de energia do estádio e ainda atende, com a geração excedente, parte do consumo do prédio da Sudesb em Salvador.

 

Foto aérea do Estádio de Pituaçu
Foto aérea do Estádio de Pituaçu

O sistema fez parte do Programa de Eficiência Energética da Coelba, foi aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e teve apoio técnico da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável (GIZ) e da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. O projeto custou mais de R$ 5,5 milhões, dos quais R$ 3,8 milhões aplicados pela Coelba e R$ 1,75 milhão pelo governo estadual, e foi executado pela distribuidora. Na configuração do sistema de geração foram utilizados 2.292 módulos fotovoltaicos, 52 inversores, equipamento responsável por adequar a eletricidade gerada às características da rede elétrica, construídas três salas elétricas para os inversores e instalados sistema de medição e aquisição de dados elétricos e ambientais. A Usina Solar de Pituaçu possui capacidade para gerar 630 megawatts-hora anuais (MWh/ano) – o que equivale ao abastecimento de 525 residências. Ela abriu precedente para que outros sistemas fossem implantados no Brasil, além de fomentar discussões acerca da regulamentação da geração distribuída a partir de fontes renováveis, e tornou-se referência em produção de energia limpa conectada à rede de energia.